Christie's pode avançar para venda direta dos Miró

O jornal teve acesso ao caderno de encargos para o leilão das obras de Miró. Caso o leilão falhe, a Christie's pode avançar para a venda direta dos quadros, mas o Estado garante no mínimo 35 milhões de euros.

O "Diário Económico" escreve hoje que "a leiloeira Christie's poderá vender diretamente qualquer das 85 obras de Miró que pertenciam ao BPN, caso não venham a ser alienados em leilão. E garante à Parvalorem, que detém a coleção, um preço mínimo de 35 milhões de euros. A possibilidade está prevista no caderno de encargos do procedimento de ajuste direto relativo ao contrato de prestação de serviço para colocação de obras de arte em leilão".

Segundo o jornal, "sabe-se agora, pela primeira vez, que afinal as obras do artista catalão poderão ser alienadas fora do leilão caso não sejam vendidas através desta opção que o Executivo tem defendido ser a que assegura maior "transparência" e "igualdade de oportunidades". O caderno de encargos refere no artigo 8 que "o prestador poderá, no prazo e condições que venham a ser acordadas, proceder á venda, fora do leilão, de qualquer bem não vendido em leilão, por preço não inferior ao preço mínimo de venda acordado, acrescido de todas as taxas ou comissões aplicáveis".l

Ler mais

Premium

DN Life

DN Life. «Não se trata o cancro ou as bactérias só com a mente. Eles estão a borrifar-se para o placebo»

O efeito placebo continua a gerar discussão entre a comunidade científica e médica. Um novo estudo sugere que há traços de personalidade mais suscetíveis de reagir com sucesso ao referido efeito. O reumatologista José António Pereira da Silva discorda da necessidade de definir personalidades favoráveis ao placebo e vai mais longe ao afirmar que "não há qualquer hipótese ética de usar o efeito placebo abertamente".