Chefe do FMI sem visto retido pelo SEF no aeroporto

Representante do Fundo Monetário Internacional na troika esteve 30 a 40 minutos retido no aeroporto enquanto aguardava a resolução do problema.

O "Correio da Manhã" escreve hoje que "Subir Lall, chefe da missão do Fundo Monetário Internacional (FMI) para Portugal, esteve retido, domingo, entre 30 a 40 minutos dentro do posto de fronteira do aeroporto de Lisboa. O membro da troika não tinha um visto válido para entrar no País".

Segundo o jornal, Subir Lall, de nacionalidade indiana, viajou ao final da tarde num voo entre Londres e Lisboa. Ao passar no posto de fronteira do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) foi-lhe solicitada a documentação. E Subir Lall entregou um passaporte das Nações Unidas, válido. Mas o visto era, segundo fonte oficial do SEF, válido apenas a partir do dia 21 (ontem). Como ainda não era dia 20, não estava legalmente habilitado a entrar em Portugal. A situação terá demorado entre 30 a 40 minutos a ser resolvida".

Ler mais

Exclusivos

Ricardo Paes Mamede

DN+ Queremos mesmo pagar às pessoas para se reproduzirem?

De acordo com os dados do Banco Mundial, Portugal apresentava em 2016 a sexta taxa de fertilidade mais baixa do mundo. As previsões do INE apontam para que a população do país se reduza em mais de 2,5 milhões de habitantes até 2080, caso as tendências recentes se mantenham. Segundo os dados da OCDE, entre os países com economias mais avançadas Portugal é dos que gastam menos com políticas de apoio à família. Face a estes dados, a conclusão parece óbvia: é preciso que o Estado dê mais incentivos financeiros aos portugueses em idade reprodutiva para que tenham mais filhos.