Aumentam casos de pobreza na Universidade do Minho

Provedor do Estudante afirma que "é uma falácia dizer que ninguém fica fora do Ensino Superior por falta de dinheiro. As políticas do Estado agravaram a situação das famílias".

O "Jornal de Notícias" escreve que António Paisano, provedor do Estudante, ontem empossado em cerimónia realizada no Salão Nobre da Reitoria da Universidade do Minho, afirmou que "há cada vez mais casos de carências sociais e financeiras entre os alunos da Universidade do Minho".

António Paisano pediu à universidade para encontrar mecanismos de apoio a estudantes que estão com problemas para se manterem a estudar.

O provedor sublinhou ainda que "é uma falácia dizer que ninguém fica fora do Ensino Superior por falta de dinheiro. As políticas do Estado agravaram a situação das famílias e urge arranjar bolsas de emergência que financiem os estudantes", disse.

No ano passado, cerca de 25% dos alunos da universidade recorreram ao provedor por problemas com a ação social e financiamento. "A tendência é aumentar. Já noto isso este ano com um aumento de 30% dos casos", disse António Paisano

Exclusivos