Insolvências caíram pela primeira vez nos últimos cinco anos

Falências judiciais diminuíram 0,7%, o que acontece pela primeira vez desde o início da crise. Falências de particulares aumentaram, mas queda nas empresas permitiu a mudança da tendência.

O "Público" escreve hoje que "o número de insolvências em Portugal caiu este ano e pela primeira vez desde 2008. Desde janeiro, os tribunais decretaram 18.500 falências judiciais, o que significou um recuo de 0,7% face a igual período do ano passado, quando este indicador tinha vindo sempre a subir, especialmente desde o eclodir da crise económica e financeira. Apesar das insolvências de particulares terem crescido 4%, a queda nas falências de empresas permitiu que 2013 marcasse uma viragem nesta tendência".

Segundo o jornal, "este recuo foi possível graças a uma queda de 10,1% no número de falências coletivas. As 5608 falências judiciais de empresas decretadas desde janeiro comparam-se com as 6236 registadas em 2012, ano em que tinham assistido a uma subida homóloga de 41%. Os sectores onde o recuo mais se sentiu foram os da fabricação de veículos automóveis (decréscimo de 71,4%) e o da produção de equipamento elétrico (descida de 64,3%). Houve, no entanto, algumas atividades com comportamento oposto, como foi o caso do ramo postal, onde as insolvências subiram 200%, ou do apoio social sem alojamento, que verifiou um acréscimo de 192,9%".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG