Governo tira 1371 milhões à Função Pública

Em 2014, o Governo vai cortar 728 milhões de euros nas pensões da CGA e 643 milhões de euros nos salários dos funcionários públicos. São abrangidas mais de 995 mil pessoas.

O "Correio da Manhã" escreve hoje que "o corte de 2,5% nos salários acima de 600 euros e a redução em 10% das pensões dos funcionários públicos vão permitir ao Governo reduzir as despesas com pessoal e com pensões em 1371 milhões de euros. Com a aplicação destas medidas em 2014 serão abrangidas mais de 995 mil pessoas, das quais 660 mil são funcionários públicos e trabalhadores do sector empresarial do Estado com reduções nos salários".

Segundo o jornal, "a maior redução da despesa será obtida com a convergência das pensões da Caixa Geral de Aposentações (CGA) com a Segurança Social: com a redução das pensões de velhice superiores a 600 euros e de sobrevivência acima de 419,22 euros, os encargos com pensões serão reduzidos em 728 milhões de euros. O Governo concebeu um mecanismo para que as pensões até 5037 euros não sofram um duplo corte que poderia advir com a convergência dos regimes e a aplicação da contribuição especial de siolidariedade (CES). Já o corte nos ordenados irá diminuir a despesa com pessoal em 643 milhões de euros, valor superior aos 500 milhões de euros referido recentemente pelo primeiro-ministro".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG