Governo quer mais presos a trabalhar

75% dos reclusos estão sem ocupação, o que não facilita a sua reinserção. Direção Geral dos Serviços Prisionais (DGPS) aposta em ter mais de 10 mil presos ativos até 2015.

Dois dos objetivos do novo Plano Nacional de Reabilitação e Reinserção 2013-2015 são colocar 75% da população prisional em regime aberto para o interior ou para o exterior, tendo atividades; e fazer do Plano Individual de Readaptação (PIR) de cada recluso algo levado a cabo por uma só equipa, desde que o recluso entra até que sai do sistema.

"O que se prente é que através da formação, do trabalho e dos programas psicoeducativos, o recluso tenha uma atividade, saia da prisão com uma especialização e, acima de tudo, saia consciente de que não quer voltar", afirma ao Jornal de Notícias Licínio Lima, subdiretor da DGPS).

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG