Governo já tirou 10,6 mil milhões a portugueses

O aumento da carga fiscal começou com a sobretaxa do IRS no final de 2011 e não mais parou: o rendimento do trabalho e as pensões são os mais penalizados.

Desde que tomou posse no final de junho de 2011, o Governo já retirou ao rendimento dos portugueses, através do aumento de impostos, mais de 10,6 mil milhões de euros. Na campanha eleitoral para as legislativas de junho de 2011, Passos Coelho prometeu não aumentar os impostos, mas, em apenas um ano e meio de governação, não só agravou a generalidade dos impostos como aplica em 2013 a maior subida da carga fiscal de que há memória. O FMI admite, num relatório divulgado na sexta-feira, que a carga fiscal deverá manter-se nos próximos anos.

De acordo com a edição de hoje do "Correio da Manhã", o Executivo da coligação PSD/CDS-PP, liderado por Pedro Passos Coelho e Paulo Portas, reduziu o rendimento dos portugueses por várias formas, em especial com intensidade através da subida do IRS. Dos mais de 10,6 mil milhões de euros retirados ao rendimento dos portugueses, mais de 70% resultam da subida dos impostos sobre o trabalho e dos cortes no subsídio de férias e Natal, bem como nas pensões.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG