Gastar 4500 euros para ter trabalho no Canadá

Empresa de recrutamento exige pagamento da assessoria para selecionar 400 operários da construção, mas não garante emprego.

O "Jornal de Notícias" escreve que centenas de desempregados da construção civil ficaram dececionados ao saber que têm de investir 5500 dólares (4500 euros), além de outras despesas, para obterem autorização de entrada no Canadá onde há oferta de trabalho. O Sindicato da Construção de Portugal, que estabeleceu os contactos entre uma agência de recrutamento de pessoal e os trabalhadores, já se apressou a demarcar-se.

Nas sessões da apresentação das condições oferecidas pela agência Prolegal, que se diz especializada em assessoria de imigração, os candidatos ficaram logo a perceber que, afinal, não havia garantias de trabalho, uma vez que a agência deixou bem claro que o seu negócio "não era empregar pessoas, mas selecionar 400 operários para 15 empresas canadianas".

"A pessoa tem de investir dois ou três mil dólares antes de começar a ganhar dinheiro, mas vai receber um salário bom, cerca de mil dólares limpos", afirmou ao jornal um dos responsáveis da agência. Ora, o investimento, em prestações, implica que o operário invista 1500 dólares ao assinar o contrato de serviços a prestar pela agência, e quatro mil dólares em quatro prestações mensais, em cheques pré-datados, após os primeiros 30 dias de trabalho naquele país. isto é, 3500 euros e despesas diversas, condições que não agradaram às centenas de operários desempregados que foram saber as condições apresentadas.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG