Fisco aperta o cerco aos bancos e às grandes empresas

Todas as empresas com facturação superior a 200 milhões de euros vão passar a ser controladas mais de perto pelo Fisco através da recém-criada Unidade de Grandes Contribuintes.

O "Diário Económico" escreve hoje que "todas as empresas com faturação superior a 200 milhões de euros vão passar a ser controladas mais de perto pelo Fisco através da recém-criada Unidade de Grandes Contribuintes (UGC). Também os bancos, seguradoras e empresas que paguem mais de 20 milhões de euros de impostos passam a ser acompanhadas por gestores tributários".

O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio, revelou ao jornal que "são já 860 as entidades que estão abrangidas pela Unidade de Grandes Contribuintes", dando conta dos critérios de selecção dos contribuintes para acompanhamento especial da situação tributária.

O jornal adianta ainda que "na mira do Fisco estão bancos e seguradoras com volume de negócios superior a 100 milhões de euros ou outras empresas com facturação superior a 200 milhões de euros, abrangendo aqui grandes empresas".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG