Finanças em silêncio sobre dívidas nas contas do Plano B

Projecções de receita apresentadas na semana passada nãp batem certo.

O "Diário Económico" escreve hoje que "o Plano B apresentado pelo Governo na semana passada deveria cobrir o buraco de cerca de 380 milhões de euros aberto pelo chumbo do Tribunal Constitucional ao corte de 10% nas pensões do Estado - e foi essa garantia que o Executivo deu na apresentação das medidas, feita por três ministros (Maria Luís Albuqueque, Mota Soares e Marques Guedes). As projeções de receita parecem, contudo, não bater certo com o anunciado, deixando um buraco superior a 100 milhões de euros por resolver, o que poderia sugerir medidas adicionais ou poupanças não anunciadas na execução orçamental". Fontes governativas contactadas pelo jornal "apontam em direções diferentes para explicar a aparente discrepância e remetem explicações para o Ministério das Finanças, que continua em silêncio".

Segundo o jornal, Marques Guedes, ministro da presidência, indicou que a subida da contribuição para a ADSE vale 160 milhões de euros, sugerindo de forma indireta que a reposição e agravamento da taxa sobre os pensionistas (CES) vale cerca de 230 milhões de euros. Contudo, contas feitas utilizando o pior cenário de incidência da CES por escalão de rendimento sugerem um impacto inferior a 110 milhões de euros. Mesmo para a ADSE, um ex-responsável da área das Finanças, que prefere anonimato, estima um impacto inferior em cerca de 20 milhões de euros".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG