Exportamos casamentos a 20 mil euros

Rede nascida em cartório de Gondomar exportou o negócio dos "casamentos brancos" para o estrangeiro. Cobrava entre 11 e 20 mil euros por cada matrimónio.

O "Jornal de Notícias" escreve hoje que "São seis arguidos e dezenas de implicados numa rede de "casamentos brancos". Vifgiados pelo SEF, passaram a exportar o negócio e cobraram até 20 mil euros a estrangeiros para casarem com portugueses. Dois processos judiciais em Portugal, que resultaram em detenções e condenações pelo crime de casamento de conveniência, acabaram por obrigar uma rede que se dedicava a este tipo de matrimónios (conhecidos por "casamentos brancos") a deslocalizar os seus "serviços".

Escreve o jornal que "a rede, segundo a investigação do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), passou a organizar os casamentos com portugueses fora de Portugal, com o intuito de legalizar imigrantes em países como a Inglaterra, França, Dinamarca, Alemanha e Espanha. Em 2008, a conservatória de Gondomar realizou mais de 300 casamentos suspeitos e a diretora acabou por ser detida pela Polícia Judiciária. Alguns envolvidos nesse caso foram detidos, em 2012, num processo a cargo do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, que acusou três cidadãos portugueses com origem angolana e francesa, dois paquistaneses e uma portuguesa de associação criminosa, crime de casamentos de conveniência, falsificação ou contrafação e tráfico de droga".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG