Estado salva milionário do BPN da falência

Com uma dívida de 193 milhões de euros, Emídio Catum recebeu luz verde da Parvalorem para aderir a um plano de recuperação.

O "Correio da Manhã" escreve na sua edição de hoje que "o Estado, através da sociedade Parvalorem - que gere os ativos tóxicos do antigo BPN - salvou da falência a Pluripar, de Emídio Catum, empresário de Setúbal que foi o mentor do polémico projeto Vale da Rosa, que previa a troca de terrenos do Vitória de Setúbal e a construção de uma urbanização que incluía um novo estádio para o clube".

Segundo o jornal, "a Pluripar está entre os principais devedores do antigo BPN e, como tal, da Parvalorem. No final de 2012, a empresa de Catum pediu ao Tribunal do Comércio de Lisboa um Processo Especial de revitalização (PER), de forma a tentar contornar a falência. A Parvalorem, a maior credora da empresa, num valor que ascendia a 193 milhões de euros, deu assim aval ao PER, para viabilizar a empresa. Segundo o presidente da Parvalorem, Francisco Nogueira Leite, foi "reconhecido e proposto pagamento no valor de cerca de 105 milhões de euros de créditos comuns, num total de 180,3 milhões de euros".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG