Escuta prova chantagem a Artur

Guarda-redes do Benfica é testemunha do processo e vai contar o caso em tribunal. Judiciária apanhou a extorsão ao atleta ao investigar o caso de um engenheiro filmado em sexo gay.

O "Correio da Manhã" escreve hoje que "quando a Unidade Contra-Terrorismo da Polícia Judiciária investigava a tentativa de extorsão a um engenheiro, que era chantageado por um gigolô brasileiro depois de este ter filmado com câmara oculta o sexo gay entre ambos, o suspeito foi colocado sob escuta telefónica. E a PJ tropeçou assim, no final do ano passado, no caso de artur Moraes - a quem Zacarias, o gigolô, estava a exigir por telefone 12 mil euros para não enviar à mulher do gurada-redes do Benfica um vídeo que dizia ter, de sexo entre o futebolista e uma amiga do chantagista. Uma jovem brasileira que segundo o Ministério Público teve um encontro de "cariz sexual" com Artur em abril do ano passado, que era amiga de Zacarias e partilhava com ele uma casa nas Laranjeiras onde teve lugar o referido encontro sexual".

Segundo o jornal, "foi na posse dessa informação que Zacarias decidiu tentar extorquir 12 mil euros a Artur. Foi a PJ a contactar o Benfica e o jogador, tendo percebido que, em outubro, chegara ao clube uma carta a denunciar a relação extraconjugal do jogador, acompanhada de uma fotografia da jovem".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG