Edifício ocupado após 25 de abril devolvido ao proprietário

O último edifício do Porto ocupado a seguir ao 25 de abril é entregue ao proprietário em setembro.

Edifício classificado como imóvel de interesse público foi ocupado por moradores de uma freguesia do Porto para criar serviços para a infância e, 38 anos depois, é entregue para se transformar num hotel", lê-se no Público de hoje.

"Naquela época, Massarelos deparava-se com uma pobreza severa alastrada. Os 'subalugas' tinham-se transformado numa espécie de praga. Nas mãos de pessoas que alugavam uma casa e subalugavam as várias divisões, afligiam-se dezenas de famílias", escreve aquele diário.

"Alguns tinham começado a olhar para o Edifício Frigorífico do Peixe, também conhecido por Armazéns Frigoríficos de Massarelos", que foi classificado "como Imóvel de Interesse Público desde 1977", sendo "um dos mais importantes exemplares da arquitectura moderna industrial do Porto dos anos 30", escreve o Público. Edifício que tinha "'condições para albergar as valências que na altura se pensaram", salienta [o arquitecto Bruno Cardoso]. As prioridades eram um infantário, uma creche, um centro de ocupação de tempos livres" e a "25 de março de 1975, meia dúzia de moradores arrombou a porta", recorda o jornal.

"Durante anos, arrastou-se nos tribunais um processo relacionado com a ocupação do edifício. (...). Agora, pela mão do grupo Nélson Quintas, deverá transformar-se num hotel, restaurante, bar, ginásio e SPA", conclui aquele diário.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG