Dois terços das escolas superiores rejeitam propina máxima

A propina máxima só será aplicada em quatro das 29 universidades e institutos superiores do país. Em 18 vão ser pedidos aos alunos valores inferiores aos 1065,72 euros anuais e sete ainda não decidiram.

O "Público" escreve hoje que "a maioria das instituições de ensino superior decidiu não subir as propinas dos seus alunos, apesar de poderem ser aumentadas para 1065,72 euros anuais. Os responsáveis destas universidades e institutos politécnicos são unânimes em apontar a crise como justificação para a decisão. Apenas as universidades de Coimbra, Lisboa e Técnica de Lisboa, bem como o Instituto Politécnico de Lisboa, vão aplicar os preços mais altos permitidos por lei em 2013/2014".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG