Doentes crónicos podem vir a ter um gestor de saúde

Avança hoje o jornal Público que os doentes com mais de cinco patologias crónicas e que são os principais consumidores de recursos devem passar a dispor de um gestor nos centros de saúde, alguém que seja responsável pelo seu acompanhamento personalizado.

Acrescenta o Público que uma melhor supervisão do estado do doente permitirá, a prazo, "controlar o desperdício de recursos", justificam os autores de um estudo esta quinta-feira colocado em consulta pública no Portal da Saúde e em que esta nova figura é proposta.

Estima-se, a nível internacional, que cerca de 6% da população acumule mais de cinco doenças crónicas. Assim, em Portugal seriam necessários cerca de 7500 gestores nos cuidados de saúde primários, se cada um ficasse com cerca de 80 doentes a cargo (as recomendações internacionais apontam para entre 50 a 80 pacientes), refere o relatório final do grupo de trabalho que estudou a integração dos níveis de cuidados de saúde, a que hoje o Público dá destaque.

O documento está em discussão pública até 17 de Maio.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG