Cortes de 4 mil milhões vão ter efeitos já este ano

Carlos Moedas reafirma montante da poupança, mas recusa dizer onde, admitindo que as medidas em estudo "por todos os ministérios" podem mesmo ter efeito "já este ano" e que isso "será positivo", escreve o 'Público' em manchete.

Após seis horas e meia de reunião do Conselho de MInistros, o secretário de Estado escusou-se a identificar as áreas onde serão feitos os cortes nas despesas públicas. Ministros divergem quanto ao prazo para os aplicar, mas data não está fechada, segundo apurou o 'Público'.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG