Contratos de obras públicas em queda livre

Contenção do investimento do Estado é a principal explicação para a quebra do valor das empreitadas.

"O valor das empreitadas de obras públicas contratualizadas pelo Estado" em 2011 "caiu para menos de um terço do registo atingido em 2010 (passou de 6,7 mil milhões de euros para 2,16 mil milhões de euros", escreve o Público na edição de hoje.

O diário nota que "no mesmo espaço de tempo, o peso dos ajustes directos na contratação pública em Portugal recuou de 92 para 84%".

O jornal, que cita dados do Ministério da Economia, escreve que o presente cenário resulta da "entrada em cena de um vigoroso freio em matéria de lançamento de obras públicas que é consequência directa da crise económica e financeira", assim como do "travão ao investimento público a que o país teve de recorrer."

"O montante global dos concursos abertos" diminuiu 29,7%, o "que corresponde a uma contracção de 1,2 mil milhões de euros, face aos 4,3 mil milhões de euros postos a concurso em 2010", refere ainda o jornal, citando neste ponto dados da Fepicop, entidade que representa o sector.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG