CML que dar confiança a senhorios para baixarem rendas

O mercado de arrendamento em Lisboa tem pouca oferta na franja entre os 300 e os 700 euros.

O diagnóstico, feito recentemente pela Associação Portuguesa de Mediadores Imobiliários é subscrito pela vereadora da habitação de Lisboa, Helena Roseta. A autarquia, prepara-se então para importar um modelo que já existe em Espanha, em que o Estado faz uma mediação junto do proprietário e do inquilino que, ao dar segurança a ambas as partes, permitiu baixar as rendas cerca de 20 ou 30%, face aos preços de mercado.

A ideia, de acordo com a proposta que foi aprovada em reunião de Câmara no passado mês de Julho, é adequar "a oferta à procura de habitação, com disponibilização de habitações para arrendamento com valores de renda inferiores aos valores actualmente praticados no mercado".

Segundo o "Jornal de Negócios", a Câmara Municipal de Lisboa vai colocar algumas das suas fracções no mercado de arrendamento para tentar dar o "pontapé de saída" deste novo mecanismo, de acordo com Rui Franco, assessor do gabinete de Roseta, e assumir-se como mediadora, através de um contrato tipo, do arredamento entre proprietário e inquilino.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG