Chefe da PSP violou segurança e facilitou a vida aos piratas

Os dados de 107 agentes não terão sido retirados da Rede Nacional de Segurança Interna, mas do computador pessoal de um chefe, revela hoje o jornal i

O grupo de hackers intitulado Lulzsec Portugal terá chegado aos dados pessoais de 107 polícias das esquadras de Chelas, em Lisboa, através do computador ou do email pessoal de um chefe da PSP e não através de uma intrusão na Rede Nacional de Segurança Interna, no site do Ministério da Segurança Interna ou da PSP.

Os piratas informáticos começaram por invadir, no final da semana passada, o site do Sindicato Nacional da Carreira de Chefes da PSP de onde terão retirado uma primeira lista com dados de 20 chefes daquela força policial.

Depois, terão entrado no email ou no computador pessoal de um destes chefes e acedido a uma nova base de dados que juntava informações sobre mais de uma centena de efectivos da PSP a exercerem funções em três esquadras de Lisboa, adiantou fonte da polícia ao jornal i.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG