Casino condenado a pagar a viciado do jogo

Empresário vai receber esta quantia do Casino de Espinho por não ter sido proibido de entrar na sala de jogos.

O homem pediu à Inspecção de Jogos em 2003 a proibição de entrada em casinos. Mas um mês depois regressou ao vício e, em Espinho, não impediram a sua entrada. A notícia é publicada na edição de hoje do "Jornal de Notícias".

Até Maio de 2005 perdeu 240 mil euros e exigiu esta quantia num processo em tribunal contra o Casino de Espinho. O tribunal deu-lhe razão parcial, obrigando o casino a pagar-lhe 82 mil euros.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG