Barclays Portugal desconhecia denúncia feita à AdC

A iniciativa que conduziu a buscas na banca partiu do Barclays no Reino Unido. A sucursal portuguesa desconhecia o assunto e os quadros de topo do banco só souberam da denúncia depois da instituição ter sido alvo de buscas.

O "Público" escreve hoje que "os responsáveis do Barclays Portugal só souberam depois da instituição ter sido alvo de buscas, a semana passada, que a denúncia que chegou à Autoridade da Concorrência (AdC) partira da sede, em Londres, com acordo de "clemência". Na sequência, a sucursal do grupo britânico foi aconselhada a manter-se em silêncio".

Segundo o jornal, "após as buscas realizadas ao sector pelas autoridades nacionais, há precisamente uma semana, a instituição portuguesa inquiriu a sede, em Londres, que a aconselhou a não reagir. Isto, com a justificação de que, em troca de uma denúncia sobre a eventual combinação da fixação de spreads, de comissões e de serviços no crédito à habitação e ao consumo envolvendo várias instituições a operar em Portugal tinha negociado com a AdC um perdão concedido ao abrigo do "regime de clemência", o que, na prática, resulta numa confirmação de culpa que beneficia a instituição. Dentro do Barclays Portugal é dado como adquirido que os responsáveis da instituição desconheciam a iniciativa da casa mãe junto da AdC".