Banca obrigada a reforçar provisões na construção

O Banco de Portugal obrigou os bancos a reforçarem as provisões para o crédito malparado ligado ao imobiliário e à construção.

A crise na construção está a penalizar mais a banca do que os grandes clientes. As inspeções do Banco de Portugal às carteiras de crédito à construção e promoção imobiliária dos oito maiores bancos portugueses identificaram a necessidade de impor imparidades superiores às originadas pela avaliação da troika, notícia o Jornal de Negócios.

Deste modo, os bancos vão reforçar em 861 milhões de euros as suas almofadas para malparado no imobiliário e setores relacionados, o que corresponde a mais 23 milhões do que o valor identificado, em 2011, pela troika. A maior parte das imparcialidades resultam do agravamento da crise na construção e promoção imobiliária, durante o verão.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG