Autarquias querem regresso às 35 horas de trabalho

Câmaras e sindicatos pedem regresso às 35 horas semanais de trabalho com novos contratos. Finanças empatam a resposta a dezenas de processos.

O "jornal de Notícias" escreve hoje que "Nem sim nem não. O Governo chamou a si o poder de autorizar as câmaras a praticar 35 horas semanais, mas não "carimbou" qualquer contrato. Autarcas e sindicatos estão a perder a paciência. Manuel Machado, presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) reclama uma "harmonização" em torno das 35 horas semanais de trabalho, considerando ser "absurdo" haver horários diferenciados. As câmaras entendem que mais horas não significam mais produtividade e podem resultar apenas em mais despesa. Francisco Braz, presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local (STAL), acusa o Governo de usar o "veto da gaveta" para inviabilizar um recurso que está previsto na lei. Mas também entende que a autorização da tutela não é necessária e que viola a autonomia administrativa de que gozam as autarquias locais".

Segundo o jornal, "está agendada uma reunião para o dia 13 entre os sindicatos e José Leite Martins, mas os sindicalistas esperam que, antes dessa data, comecem a ser desbloqueados os contratos coletivos de trabalho que aguardam o aval do Governo. Serão mais de 100".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG