A Igreja tem doze exorcistas autorizados

Dioceses portuguesas têm padres preparados para esconjurar. Os padres evitam falar no assunto e os exorcistas das dioceses não se mostram.

O "Correio da Manhã" escreve hoje que "o gesto do Papa Francisco no domingo, na Praça de São Pedro, que muitos classificaram como exorcismo mas que o Vaticano desmente, reabriu um debate tão antigo como o Cristianismo, mas que a Igreja tenta, a todo o custo, fugir. Afinal, há ou não exorcismos e estes são ou não atos sacramentais reconhecidos pela Igreja Católica? O exorcismo, ou esconjuração do Diabo, é reconhecido pela Igreja, existe mesmo um ritual para a sua celebração e, por norma, as dioceses têm mesmo um padre, devidamente autorizado pelo bispo, a quem cabe a missão de explusar o meligno das pessoas possuídas. No entanto, em Portugal, apenas 12 dioceses têm exorcista oficial (entre as quais Braga, Lisboa, Porto, Lamego, Viseu, Guarda, Évora e Açores) e quase nenhuma o admite, referindo os responsáveis que "essas coisas são resolvidas de forma pontual e caso a caso".