Freud e Marx, os mais censurados na não ficção

Tudo o que são clássicos e grandes obras da literatura mundial passaram pelo crivo dos delegados de estudos do Opus Dei. Por isso é difícil encontrar um grande escritor que não tenha sido 'censurado' pela obra. Dos últimos 15 prémios Nobel da Literatura só um não tem livros proibidos. Os restantes 14 têm 72 obras 'proibidas'. Na não ficção, que inclui obras de grande importância científica, Marx, Freud ou Nietzsche estão entre os que não escaparam ao 'lápis azul' da organização.

As aventuras de Leopold Bloom a fazer a sua odisseia por Dublim (em Ulisses, de James Joyce), a chegada de Cândido a Lisboa após o terramoto de 1755 (em Cândido, de Voltaire) ou as dúvidas existenciais de Zuckerman (obras de Philip Roth) são histórias que os membros do Opus Dei não podem desfrutar. Grandes nomes da literatura e das ciências sociais mundiais fazem parte da lista de 33 573 livros proibidos pela obra.

Olhando, por exemplo, para os últimos 15 prémios Nobel da Literatura, apenas um (Le Clézio) escapou à lista negra de livros do Opus Dei. Só nos três mais elevados níveis de proibição (ver infografia na página 31) existem 72 obras. O peruano Mario Vargas Llosa (Nobel em 2010) conta com 17 obras nestes níveis de proibição. É imediatamente seguido pelo português José Saramago, com 12 títulos (ver páginas 30 e 31). Mas a lista não para por aqui: Doris Lessing (nove livros), John Coetzee (oito), Günter Grass (sete) e Elfriede Jelinek (quatro) são outros dos mais castigados. Orhan Pamuk apenas foi brindado com um livro proibido e os dois últimos nóbeis (Mo Yan e Tomas Tranströmer) têm livros classificados com níveis de interdição mais baixos.

E a lista de grandes autores proibidos está longe de se esgotar nos últimos laureados pelo maior prémio da literatura. O romance Ulisses, de James Joyce - um marco do modernismo literário -, tem o mais elevado nível de proibição (6; L-C3). O mesmo acontece com livros de autores como Albert Camus, Gabriel García Márquez, Samuel Beckett, Jean-Paul Sartre (também eles Nobéis), Voltaire, Aldous Huxley, Henry Miller, Truman Capote, Philip Roth ou Vladimir Nabokov.

Também "censurados", mas com níveis de proibição mais baixos, surgem os nomes de Ernest Hemingway, Orwell, Jorge Luis Borges, Dostoievski, Kafka ou F. Scott Fitzgerald.

O líder do Opus Dei Portugal, José Rafael Espírito Santo, explica que esta lista é "no fundo estar a procurar um conselho para defender a fé", lembrando que "o Papa João Paulo II antes de ler um livro consultava e perguntava se era um livro adequado". O vigário regional do Opus Dei utiliza ainda uma metáfora para justificar a lista: "Há medicamentos que só se vendem com receita médica. Porquê? Porque uma pessoa que não saiba, em vez de fazer bem à saúde, pode fazer mal. A fé não se apoia na razão. E, portanto, pode haver modos de empregar a razão que sejam nocivos para o próprio ser humano porque a verdade é só uma."

Marx e Freud, os mais odiados

Em matéria de não-ficção, o psicanalista Sigmund Freud e o sociólogo Karl Marx são os mais censurados pela obra. Sozinho, Karl Marx tem 19 livros no mais elevado nível de proibição das obras que não são literatura (P-C3). O Capital ou o Manifesto do Partido Comunista fazem, naturalmente, parte deste lote. O sociólogo só é mesmo batido por Sigmund Freud, o autor mais proibido, com 21 obras, que inclui títulos como A Interpretação dos Sonhos ou os Três Ensaios sobre a Teoria da Sexualidade.

Os filósofos Nietzsche (dez livros), Thomas Hobbes (três), Émile Durkheim (cinco), Karl Popper e Francis Bacon (ambos com um livro) também não escaparam aos delegados de estudos do Opus Dei.

Há ainda realizadores de cinema que são censurados, não pelos seus filmes (embora também haja uma lista - ver topo da página), mas pelos livros que escreveram. É o caso de Woody Allen, Pasolini, Buñuel ou Almodóvar. Políticos como Lenine, Trotsky, Fidel Castro, Salvador Allende (particular- mente odiado pelo Opus Dei, que ajudou ao seu derrube no Chile) e Hillary Clinton também têm livros na lista.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG