Última vontade de Carlos Castro fica por concretizar

(COM VÍDEO E ÁUDIO) Nem em Times Square, nem no rio Hudson. Parte das cinzas do cronista serão depositadas sábado num cemitério de Newark. Outra parte virá para Portugal.

Ouça o áudio na íntegra da conferência de imprensa das irmãs de Carlos Castro e de Cláudio Montez:

Veja um excerto em vídeo da conferência de imprensa:

[sapovideo:g7pZaWRllspQnDZMGF74]

As cerimónias fúnebres do colunista social Carlos Castro terão lugar no sábado e incluem missa rezada em Newark, Nova Jérsia, revelou a família na quarta-feira à noite. Cláudio Montez, que acompanha duas irmãs do cronista social em Nova Iorque, disse em Newark que o corpo será cremado hoje, um dia depois do previsto, e que só no sábado, depois da missa marcada para as 15.00 locais, na igreja de Nossa Senhora de Fátima, em Newark, será conhecido o local onde serão depositadas as cinzas.

Mas Times Square, conforme era desejo do colunista social, e também no rio Hudson, como também se pensou, estão fora de questão. "Tentar-se-á fazer a vontade ao Carlos, o mais real possível. Não vai ser no mar, não vai ser no rio, vai ser no cemitério, tem de ser no cemitério, com toda a dignidade", disse Montez aos jornalistas, em Newark, explicando que esta decisão se prende com a necessidade de evitar problemas com a justiça.

"Foi pedido ao senhor que está encarregado de fazer a cerimónia que seja um local, obviamente oficial, o mais próximo da Broadway", referiu ainda o amigo de Carlos Castro. No local, adiantou, será depositada apenas "parte das cinzas". "São feitas as duas vontades: a vontade do Carlos ficar em Nova Iorque e a vontade da família que não pôde vir toda. Será feita depois lá [em Portugal, uma segunda cerimónia], em dia e lugar a determinar", referiu Montez.

O corpo de Carlos Castro ainda não foi libertado, uma vez que ainda não foi emitida a certidão de óbito. O jornalista, de 65 anos de idade, foi morto na sexta feira no Hotel Intercontinental, próximo de Times Square. A polícia acusou de homicídio o jovem modelo português Renato Seabra, que se encontra em detenção no Hospital Bellevue e deverá ser ouvido nos próximos dias em tribunal.

Exclusivos