Corpo de Carlos Castro é cremado hoje

As cinzas do colunista social Carlos Castro poderão ser espalhadas no Rio Hudson, Nova Iorque, após a cremação do corpo numa casa funerária nos arredores de Nova Iorque.

A cremação terá lugar na Bergen Funeral Services, casa funerária situada no condado de Bergen, Nova Jérsia, segundo adiantou à Lusa Luís Pires, amigo do colunista social de 65 anos, assassinado na sexta-feira, em Nova Iorque.

Fonte da Embaixada de Portugal em Washington adiantou à Lusa que o reconhecimento do cadáver foi feito depois das 18.00 de terça-feira (23.00 de Lisboa), por duas irmãs de Castro, no centro de medicina legal de Nova Iorque.

Nas próximas horas, o cadáver será levantado do centro de medicina legal pela agência funerária Teixeira. A realização da cremação fica contudo dependente do impacto do intenso nevão previsto para esta noite na região de Nova Iorque, e que mantém a cidade em alerta de mau tempo.

Depois de chegarem de Lisboa pelo aeroporto de Newark, Nova Jérsia, as duas irmãs de Carlos Castro, acompanhadas de quatro amigos, foram recebidas pelas 18.00 de terça-feira à porta do centro de medicina legal pelo chanceler do Consulado em Nova Iorque, António Pinheiro, que tem estado a acompanhar directamente o caso e que conseguiu esta reunião já após o fecho, habitualmente às 17.00. Segundo fonte da Embaixada em Washington, foi assinada toda a documentação legal e feito o reconhecimento do cadáver através de fotografias. Por volta das 19.00, as duas irmãs de Castro partiram do centro de medicina legal, em direção a Newark, onde estão instaladas.

Compete agora à funerária tratar das cerimónias, de acordo com a pretensão da família de que as cinzas de Castro sejam espalhadas na cidade, conforme era desejo do colunista social. De acordo com Luís Pires, ainda não está definido onde serão espalhadas as cinzas, mas uma das hipóteses mais fortes é o Rio Hudson, fronteira fluvial entre Nova Jérsia e a ilha de Manhattan, Nova Iorque.

Pires adiantou ainda que não haverá velório, e que a cerimónia de quarta-feira consistirá apenas na entrega das cinzas aos representantes da família.

A vontade manifestada por Castro era que as cinzas fossem espalhadas na praça mais famosa de Nova Iorque, Times Square, mas a família já terá sido informada da inviabilidade desta pretensão.

"As cinzas vão ser deitadas algures [em Nova Iorque]. Não sabemos onde nos permitem fazer a cerimónia. O desejo era que fosse Times Square, não sei se pode ser", disse Cláudio Montez, amigo de Castro que acompanha as duas irmãs.

Entretanto, alguns amigos de Carlos Castro na cidade e arredores já marcaram para o dia 7 Fevereiro uma missa em nome do colunista social na cidade de Elizabeth, Nova Jérsia.

Castro, de 65 anos de idade, foi morto na sexta feira no Hotel Intercontinental, próximo de Times Square. A Polícia acusou na segunda-feira deste crime o jovem modelo português Renato Seabra, que se encontra em detenção no Hospital Bellevue, de onde só poderá sair com alta médica.

Exclusivos