Governo e sindicatos têm igual objectivo: defender emprego

A ministra do Trabalho e da Solidariedade Social, Helena André, considera que as opções que o Governo tomou e os motivos da greve geral de hoje cumprem um mesmo objectivo: defender o emprego.

"As opções tomadas pelo Governo destinam-se em grande parte a fazer algo que é um dos objectivos desta greve: defender o emprego. Temos a convicção que as medidas que propomos aos portugueses têm como objectivo [tal como os sindicatos] e independentemente da sua dureza - não escondemos que são medidas muito exigentes e duras -, defender o emprego e os direitos dos trabalhadores", sublinhou a governante.

Questionada se o Governo iria tirar ilações desta greve, a ministra do Trabalho garantiu ainda que o Executivo está "sempre muito atento àquilo que são os posicionamentos das organizações sindicais". O Governo entende também  que "ultrapassar os constrangimentos do País, de termos a capacidade de criar emprego, de distribuir a riqueza de uma forma mais justa e equitativa (...) passa pela nossa capacidade em promover o crescimento económico e passa, sobretudo, pela nossa capacidade de unirmos esforços", disse.

Sobre a capacidade de unir esforços, Helena André diz que "lamentou e continua a lamentar" que as organizações empresariais e sindicais tenham deixado de querer discutir "os fundamentos de um pacto para o emprego, inserido nos desafios de médio e longo prazo. Entendemos que ultrapassar os constrangimentos tem que ser feito com diálogo e com menos contestação", sublinhou ainda. Helena André refere que "os portugueses já compreenderam o alcance destas medidas [inseridas no Orçamento do Estado], mas também compreenderam todos que estas medidas são fundamentais para o bem colectivo, presente e futuro". Por isso, "não podemos esperar que o Governo altere aquilo que são as suas propostas e rumo nesta matéria".    

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG