Pedofilia atingiu o coração da BBC com Jimmy Savile

O caso mais mediático da última década rebentou no Reino Unido,no outono passado: Savile, antiga estrela da BBC, foi envolvido numa rede pedófila, queabarcava outras figuras influentes, e manchou a imagem da própria televisão pública britânica.

De rompante, um escândalo de pedofilia envolve uma das maiores estrelas de televisão do país (e outras figuras conceituadas) e abala a imagem de uma emblemática instituição da nação. O cenário parece familiar, só que aqui não se fala da Casa Pia, mas sim de algo mais recente e passado no Reino Unido: a revelação do historial de abusos sexuais que veio pôr em causa o apresentador de televisão Jimmy Savile (já falecido), outros nomes sonantes do star system britânico e a própria cadeia de televisão BBC.

Ao mesmo tempo que, nos últimos dez anos, o processo Casa Pia chocava Portugal, episódios de pedofilia iam sendo conhecidos um pouco por todo o mundo. Alguns envolveram a Igreja Católica (atingindo mesmo o papado de Bento XVI, ver texto secundário), outros marcaram nomes famosos, das mais variadas áreas, ou anónimos que se tornaram conhecidos pelos piores motivos (do pedófilo e assassino em série belga Marc Dutroux ao pedopsiquiatra brasileiro Eugênio Chipkevitch, ver textos Cinco crimes com fama mundial, em cima). Mas talvez nenhum fosse, literalmente, tão mediático como o que rebentou no Reino Unido no outono passado.

Em causa está o comportamento de Jimmy Savile, excêntrico e popular apresentador de televisão (foi até agraciado com o titulo de sir, cavaleiro da coroa britânica), acusado de cometer mais de 500 crimes de abuso sexual de menores - maioritariamente raparigas - ao longo dos últimos 40 anos. Savile, famoso pelos largos anos que passou a apresentar os populares programas Top of the Pops e Jim'll Fix It, morreu em outubro de 2011, aos 84 anos. E foi cerca de um ano após a sua morte que a mítica figura - cabelo branco, roupas extravagantes e frequente charuto na boca - foi enredada numa complexa teia de abusos sexuais, cometidos em escolas, hospitais, instituições de acolhimento de crianças e jovens... e até nos próprios estúdios da BBC.

Jimmy Savile já não pôde cair na mão das autoridades - tal como o radialista John Peel, igualmente relacionado com o escândalo e falecido em 2004. Porém, foram detidos outros nomes sonantes do panorama britânico: Dave Lee Travis (outro ex-apresentador da BBC), Gary Glitter (famoso músico rock), Freddie Starr (conhecido humorista) e Wilfred De'Ath (antigo produtor da televisão estatal britânica).

E a controvérsia promete continuar a dar que falar. "Estas alegações deixam muitas instituições, particularmente a BBC, com questões muito sérias a responder", admitiu o primeiro-ministro David Cameron, ouvido no Parlamento sobre a matéria. Enquanto isso, a polícia, a segurança social e a própria estação de televisão tentam perceber o que falhou na deteção e resolução destes crimes ao longo das últimas quatro décadas.

No entanto, o caso - revelado numa reportagem da estação ITV - já fez rolar cabeças na cadeia televisiva estatal, acusada de proteger a imagem da sua antiga estrela e de cometer graves erros na cobertura do caso - ao acusar Alistair McAlpine, figura do Partido Conservador nos anos 80, com base numa fonte anónima falsa. A celeuma provocou a demissão do diretor-geral da estação, George Entwistle, da diretora de informação, Helen Boaden, e do diretor adjunto Stephen Mitchell. Mas lá, como cá ao longo dos últimos dez anos, a polémica promete continuar.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG