Cardeal patriarca diz que Papa quebrou um tabu

O cardeal patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, afirmou há pouco que o Papa "quebrou um tabu" ao apresentar a sua resignação por motivos de saúde. D. José Policarpo lembrou que João Paulo II também quis abandonar o cargo mas foi pressionado para não o fazer, ficando assim exposto a um "espetáculo humanamente deprimente" e suscitando uma reflexão profunda sobre esta questão.

Por isso este Papa foi inteligente em manter o segredo, não comunicando a sua decisão, considerou, e anunciando-a de repente, causando surpresa até entre os que lhe são mais próximos. "Os futuros papas que tiverem de tomar esta decisão, estão mais livres para o fazer, sendo mais natural tomá-la depois deste gesto histórico de Bento XVI", acrescentou.

Numa conferência de imprensa que terminou há instantes na Casa Patriarcal, em Lisboa, o cardeal português classificou ainda a decisão de Bento XVI como um gesto de "lucidez, coragem e humildade".

Sobre a escolha do sucessor na cadeira de Pedro, o cardeal português defendeu a eleição de um Papa mais novo, que possa assim responder com energia e saúde a este ministério "exigente e difícil". D. José Policarpo sublinhou que mais importante do que a nacionalidade, "identificar a pessoa", acrescentando que, enquanto eleitor e participante no conclave, já tem alguns nomes na sua cabeça.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG