Bento XVI é um homem com "muita fé" fez "trabalho extraordinário", lembra arcebispo de Évora

O arcebispo de Évora, José Alves, considerou hoje "louvável" a atitude do papa Bento XVI em resignar, salientando ser uma decisão de "um homem lúcido e com muita fé" e que fez um "trabalho extraordinário".

"É louvável esta atitude do papa, que é uma decisão de um homem lúcido e com muita fé e que está consciente de que os destinos da igreja estão nas mãos de Deus e não nas mãos do homem", afirmou José Alves, em declarações à agência Lusa.

O papa Bento XVI anunciou hoje oficialmente que vai resignar no próximo dia 28 ao pontificado devido "à idade avançada".

"Enquanto papa, fez um trabalho extraordinário nestes sete anos. Conduziu a igreja em momentos difíceis, mas com muita lucidez e serenidade e pondo ao serviço da igreja toda a sua capacidade intelectual, que é excecional", disse o prelado de Évora.

Considerando que Bento XVI tomou a decisão "muito consciente e livremente", José Alves salientou que o papa, atendendo ao seu estado de saúde e à sua idade (85 anos), "entendeu, por bem, que deveria pedir a resignação para que outra pessoa com mais possibilidades e mais saúde pudesse conduzir os destinos da igreja".

O anúncio oficial da resignação do papa foi feito hoje durante um consistório no Vaticano.

Um novo papa será escolhido até à Páscoa, a 31 de março, disse o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, anunciando que um conclave deve ser organizado entre 15 e 20 dias após a resignação do pontífice.

O último chefe da Igreja Católica a renunciar foi Gregório XII, no século XV (1406-1415).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG