Procuradoria quer certidão de 'skinhead'

Extrema-direita A Procuradoria- -Geral da República (PGR) pediu na passada sexta-feira ao Tribunal de Loures "informações sobre o envio da certidão" com declarações de Rui Dias, um dos arguidos no julgamento do skinhead Mário Machado, líder dos Hammerskins Portugal, que em audiência de julgamento de 30 de Junho disse ter em sua posse documentos que referem o desvio de 383 milhões de euros", envolvendo "o tio, o primo e a mãe" do primeiro-ministro, José Sócrates.

No seguimento disto, a presidente do colectivo, a juíza Susana Fontinha, informou que iria extrair certidão daquelas declarações para serem alvo de uma eventual investigação por parte do Ministério Público. Mas, pelos vistos, a certidão ainda não chegou à Procuradoria-Geral da República.

Recorde-se que em Março do ano passado também Mário Machado revelou ter em sua posse 67 páginas de documentos bancários de Celestino Monteiro, irmão de Júlio Monteiro, ambos tios de José Sócrates, tendo-as colocado depois na Internet. Mas ainda se desconhece como tiveram acesso à documentação.

Exclusivos