Paulo Rodrigues: "Faltam meios e estratégia política"

3 perguntas a Paulo Rodrigues da Associação Sindical dos Profissionais de Polícia.

É visível o aumento do crime violento e organizado em Portugal?

Sim, nota-se que tem vindo a aumentar na última década e, sobretudo, nos últimos três anos. Portugal não tem sido capaz de adaptar a Polícia de Segurança Pública (PSP) e as demais forças de segurança às novas realidades. Estamos a perder muito tempo.


Trata-se de falta de meios?

Falta de meios e também a falta de uma estratégia política. O método de policiamento que temos continua a ser o de há dez anos. Por outro lado, não podemos actuar em paralelo com as polícias de Espanha ou de França porque os meios são diferentes. Por exemplo, continuamos sem ter uma central de informações que permita a cooperação entre as forças de segurança nacionais. Cada força tem a sua própria central. Ora, para termos isto organizado não precisamos de grandes investimentos. Necessitamos apenas que haja vontade política.


Os portugueses vivem com o sentimento de insegurança?

Se perceberem que as forças de segurança são incapazes de combater o crime violento , por não terem meios nem estratégia, esse sentimento começa a instalar-se.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG