Oito casos portugueses

Portugal tem oito casos, excluindo o de Maddie, de desaparecimento de crianças, em que o mais antigo remonta a 1991.

1991
Jorge Sepúlveda desapareceu há 16 anos. Foi visto pela última vez com 14 anos em Massarelos, Porto. É o caso mais antigo que consta da base de dados da Polícia Judiciária.

1994
Cláudia Silva e Sousa, conhecida como "carracinha", desapareceu há 13 anos, e contava na altura sete anos. Natural de Oleiros, desapareceu no Porto. Nem a cicatriz com cerca de 10 cm na coxa ajudou a encontrar o seu paradeiro.

1998
Rui Pedro Mendonça foi um dos casos mais mediáticos, à escala nacional. Com nove anos na altura, desapareceu da zona de Paredes. Apesar dos esforços da mãe, Filo mena, que apelou publicamente às autoridades, Rui continua desaparecido.

1998
João José Gomes Teles desapareceu meses depois de Rui Pedro, em Câmara de Lobos, mas o seu caso acabou por passar mais despercebido. Na altura contava 16 anos. O local do desaparecimento, Largo do Machiqueiro, foi oficialmente conhecido pela PJ do Funchal.

1999
Rui Manuel Pereira desapareceu em 1999, em Vila Nova de Famalicão. Na altura contava 15 anos e tinha uma cicatriz junto do olho esquerdo.

2004
Sofia Catarina Valente é a criança mais nova na lista que a PJ tem de casos por resolver de crianças desaparecidas . Na altura contava apenas dois anos. Desapareceu em Câmara de Lobos, no Funchal. Os pais da criança estavam já separados na altura. A criança residia com a mãe e o pai de Sofia vive ainda nos Açores.

2005
Tatiana Frima, nascida na Guiné, foi "adoptada" por um casal com a concordância da mãe. Viajou para Portugal em 2004 com o casal. Um ano depois, a mãe adoptiva da criança de sete anos confessou que a menor tinha por sido entregue a uma outra pessoa.

2005
 O mais recente desaparecimento, antes de Maddie McCann, que a PJ não conseguiu resolver, foi o de Ana Patrícia Santos, natural do Montijo. Na altura do desaparecimento, a adolescente contava 15 anos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG