Cadáveres e vestígios

? O desaparecimento de Madeleine McCann do Algarve e a vinda de cães ingleses preparados para detectar vestígios biológicos e odor a cadáver levaram a GNR a investir nesta área. Foi com os cães ingleses que quatro cães receberam treino de detecção de cadáveres (ou seja, na detecção de odor a cadaverina ou putrescina) e outros dois na detecção de vestígios biológicos como sémen, saliva e sangue. Foram estes cães que em 2008 descobriram uma idosa assassinada em Sintra e que agora foram usados para procurar os corpos das alegadas vítimas do "rei Ghob", Francisco Leitão, na Lourinhã (ver página 4).

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG