Cronologia do caso

2007

03 Maio 2007: Madeleine McCann, menina britânica de três anos, desaparece do quarto onde dormia juntamente com os dois irmãos gémeos, num apartamento do aldeamento turístico Ocean Club, na Praia da Luz, Lagos.Os pais, ambos médicos (pai cardiologista, mãe médica de clínica geral), jantavam com um grupo de amigos num restaurante do 'resort' a cerca de 50 metros do apartamento. Tinham chegado ao Algarve a 28 de Abril.

05 Maio 2007: O director da Polícia Judiciária de Faro, Guilhermino Encarnação, disse estar em situação de assegurar que a criança terá sido raptada e que todos os caminhos apontam para um crime de rapto, existindo já um 'esboço' de um suspeito.

10 Maio 2007: O casal McCann é ouvido, pela segunda vez, na PJ, enquanto o apartamento onde estavam alojados voltou a ser revistado. O porta-voz da PJ para o caso assegura que não há qualquer tipo de suspeita sobre familiares e amigos da criança.

14 Maio 2007: O cidadão luso-britânico Robert Murat torna-se no primeiro arguido no processo do desaparecimento da menina.

25 Maio 2007: PJ revela a descrição do presumível raptor, segundo o semanário inglês The Observer, após ter sido pressionada pelo então ministro das Finanças britânico e futuro primeiro-ministro, Gorden Brown.

31 Julho 2007: A PJ, elementos da Polícia britânica e dois cães, especialistas em detectar sangue e odores a cadáver, inspeccionam apartamento de onde a menina desapareceu.

06 Agosto 2007: O Jornal de Notícias avança que Madeleine poderá ter sido morta acidentalmente, porque foram encontrados vestígios de sangue, presumivelmente da pequena Maddie, no apartamento ocupado pelo casal McCann.

10 Agosto 2007: O director nacional da Polícia Judiciária, Alípio Ribeiro, afirmou que o caso está longe de ser esclarecido, apesar de terem surgido novos elementos na investigação.

07 Setembro 2007: O casal McCann volta a ser ouvido na PJ de Portimão. O advogado Carlos Pinto de Abreu anuncia que Kate e Gerry McCann foram constituídos arguidos. Dois dias depois, o casal regressa a Inglaterra, onde reclama inocência.

11 Setembro 2007: O relatório preliminar da PJ sobre o desaparecimento da menina é entregue ao Ministério Público, em Portimão, que o remeteu ao juiz de instrução criminal.

02 Outubro 2007: O titular do processo "Maddie" e coordenador da PJ de Portimão, Gonçalo Amaral, em declarações ao Diário de Notícias, critica a Polícia britânica, por "andar a fazer o que o casal [McCann] queria". Poucos dias depois é demitido da função e afastado do processo.

09 Outubro 2007: A imprensa inglesa cita fontes dos laboratórios de Ciências Forenses de Birmingham que revelam que os últimos resultados das análises ali efectuados mostram que a Polícia portuguesa agiu correctamente ao considerar Kate e Gerry McCann como arguidos no desaparecimento da sua filha.

2008

11 Janeiro 2008: O Ministério Público pediu o alargamento do prazo do segredo de Justiça do processo por mais três meses

02 Fevereiro 2008: O director nacional da Polícia Judiciária admitiu, numa entrevista conjunta Rádio Renascença/Público, que poderá ter havido "precipitação" na constituição como arguidos dos pais da criança.

13 Fevereiro 2008: O ministro da Justiça, Alberto Costa, afirmou perante a Comissão Parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias que o processo "não foi afectado" pelas declarações do director nacional da PJ sobre a constituição de arguidos do casal McCann.

08 Abril 2008: Um dia depois da sua chegada a Inglaterra, três inspectores da PJ e da Polícia britânica iniciam as inquirições aos amigos do casal McCann que estiveram na Praia da Luz.

21 Julho 2008: O Ministério Público arquiva o processo sem rasto da menina, nem suspeitos ou culpados. Admite reabri-lo caso surjam novos elementos de investigação.

4 Agosto 2008: O Tribunal de Portimão entrega à comunicação social um DVD com informações do processo onde constam, entre outros elementos, fotografias, depoimentos, imagens de câmaras de vigilância e cartas rogatórias.

2009

05 Abril 2009: Gerry McCann regressou ao quarto do Ocean Club para reconstituir a noite do desaparecimento para uma televisão britânica, quando sempre recusou fazer o mesmo perante a Polícia Judiciária.

13 Abril 2009: TVI exibe documentário sobre o desaparecimento de Maddie, baseado no livro de Gonçalo Amarla, ex-PJ que coordenou os primeiros meses da investigação.

27 Abril 2009: Kate e Gerry McCann gravaram programa de Oprah, nos Estados Unidos, dois anos e um dia depois do desaparecimento. Kate McCann chorou no programa.

09 Setembro 2009: Tribunal Cível de Lisboa decreta providência cautelar sobre o livro de Gonçalo Amaral "A Verdade da Mentira".

22 Outubro 2009: O advogado de Gonçalo Amaral, António Cabrita, disse que a notificação do arresto de bens do Tribunal Cível de Lisboa foi feita à sociedade unipessoal de Gonçalo Amaral e não em nome do ex-inspector.

2010

10 de Fevereiro 2010: Juízos Cíveis voltam a confirmar decisão da providência cautelar. Gonçalo Amaral anuncia que vai recorrer da sentença.

19 Outubro 2010: Tribunal da Relação de Lisboa anula proibição de venda do livro de Gonçalo Amaral sobre o caso Maddie.

05 Novembro 2010: Advogada dos McCann, Isabel Duarte, recorre da decisão da Relação para o Supremo Tribunal de Justiça.

11 Novembro 2010: Petição do casal McCann para reabrir o processo para encontrar Madeleine já conta com 31 mil assinaturas disse o casal McCann à imprensa, em Lisboa, a propósito de um balanço do caso.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG