Carlos Cruz entregou-se na prisão da Carregueira

Arguido do processo da Casa Pia foi ao estabelecimento prisional na companhia do seu advogado, Ricardo Sá Fernande. E invocou o regulamento das prisões

Carlos Cruz, arguido condenado a seis anos de prisão no processo da Casa Pia, entregou-se ao início da tarde desta terça-feira na prisão da Carregueira, em Sintra. Cruz foi acompanhado pelo seu advogado, Ricardo Sá Fernandes.

Ao apresentar-se voluntariamente para cumprir pena de prisão, Carlos Cruz invocou o "Regulamento Geral dos Estabelecimentos Prisionais", que estabelece, no artigo 3.º: "Sempre que alguém se apresente voluntariamente num estabelecimento prisional declarando ter uma pena de prisão a cumprir é elaborado auto e, após confirmação imediata dos fundamentos da apresentação junto do tribunal competente, dá -se início aos procedimentos de ingresso"

Portanto, perante a presença do arguido e do seu advogado, a direcção da prisão da Carregueira terá contactado o tribunal que julgou o processo da Casa Pia, tendo este confirmado a pena.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.