Bento XVI entrega rosa de ouro ao Santuário

A rosa, que será entregue na quarta-feira, é atribuída em caso de méritos pessoais ou como sinal de devoção a igrejas .

DN

Bento XVI vai ser o primeiro Papa a entregar pessoalmente uma rosa de ouro ao Santuário de Fátima, sinal de devoção especial a este local de culto católico. De acordo com a agência de notícias da Igreja Católica em Portugal, Ecclesia, a entrega da rosa de ouro vai acontecer no primeiro momento do programa do Papa em Fátima, na Capelinha das Aparições, que está agendado para quarta-feira.

Junto da imagem de Nossa Senhora de Fátima, Bento XVI dirá que a rosa de ouro é "uma homenagem de gratidão" pelas "maravilhas que o Omnipotente tem realizado por Vós no coração de tantos que peregrinam", afirma a Ecclesia, citando a página do Vaticano. A rosa de ouro é "um dom simbólico que os papas entregam como reconhecimento de méritos pessoais ou como sinal de devoção particular a igrejas, santuários ou mesmo cidades".

O Santuário de Fátima recebeu a primeira rosa de ouro das mãos do cardeal Fernando Cento, enviado de Paulo VI, em 15 de Maio de 1965. Em Portugal, um outro santuário recebeu a mesma distinção do cardeal Eugénio Sales, enviado de João Paulo II, em 8 de Dezembro de 2003: o de Nossa Senhora do Sameiro, em Braga, por ocasião do centenário da coroação da imagem de Nossa Senhora.

Um terço dos visitantes do Santuário de Fátima são católicos não praticantes, refere um estudo sobre o perfil do visitante de Fátima, da investigadora Graça Poças dos Santos. Uma parte substancial (28,9%) dos que afluem a Fátima não se consideram a si próprios católicos praticantes", refere o trabalho desenvolvido em 2008 para o Turismo de Leiria/Fátima no âmbito do projecto Coesima - Cooperação Europeia dos Locais Maiores de Acolhimento.

A investigadora define que o visitante é mulher e tem 50 anos, além de ser casada e residir em Portugal. Ao mesmo tempo, é católica praticante e desloca-se a Fátima para rezar, cumprir promessas e por tradição.

Os peregrinos e visitantes que decidiram acompanhar a visita do Papa da próxima semana vão poder tirar partido das ruas desinfectadas e com aroma a limão, uma operação que foi anunciada pela Câmara Municipal de Ourém. E caso necessitem de apoio, os peregrinos vão poder contar com uma vasta rede de voluntários, entre os quais 220 servitas. Esta associação, com 480 elementos, foi o primeiro grupo de voluntários a dar apoio aos peregrinos de Fátima, remontando a 1917 e aos acontecimentos da Cova da Iria.