Produtores tradicionais aplaudem lei simplificada mas pedem mais protecção

Os pequenos produtores de alimentos tradicionais receberam com alívio a notícia de uma recente portaria que promete simplificar as condições de higiene até agora exigidas aos artesãos, que levaram a polémicas intervenções da ASAE. No entanto, para alguns, ainda há um longo caminho a percorrer até que seja garantida a subsistência dos produtos tipicamente portugueses.


Segundo Ana Soeiro, engenheira agrónoma especialista em produtos tradicionais, "estes textos facilitam a vida aos pequenos produtores, mas não resolvem problemas como as derrogações ou as acreditações de empresas ". Insistindo que a legislação ainda é insuficiente e burocrática, Ana Soeiro cita como exemplo o facto de os produtores continuarem sem saber "como pedem e a quem pedem para rever metodologias, ferramentas de trabalho, etc.".


Também segundo Alexandra Carrilho, uma das responsáveis pela Qualifica, associação de municípios e produtores para a valorização dos produtos tradicionais, há que estar atento para que aquilo "que é só nosso não seja levado pela globalização". No entanto, "ter a tutela a ouvir-nos e a evoluir já é muito bom", admite Alexandra Carrilho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG