Passos Coelho "explora" crise na Grécia

Aguiar-Branco entra na campanha do PSD e diz que "o Pedro já fez a parte dele".

A situação na Grécia entrou hoje nos discursos de Passos Coelho. Falando num almoço-comício em Penafiel - onde, segundo a organização, estão mais de três mil pessoas - o líder do PSD usou a situação naquele país como exemplo do que pode acontecer a Portugal se não cumprir o acordo de assistência internacional (e para Passos só o PSD garante esse cumprimento).

"A Grécia falhou. Pode não haver mais ajuda nenhuma. Não é a Europa que pode estar em causa, com o euro. São os gregos que podem ficar fora do euro. Não é isto que eu quero para Portugal", disse.

O almoço - uma organização do PSD-Porto marcada por grande prosperidade de meios, nomeadamente em vários ecrãs gigantes espalhados pelo pavilhão onde decorre - serviu para José Pedro Aguiar-Branco (ex-adversário interno de Passos) discursar pela primeira vez na campanha do líder 'laranja'.

Aguiar-Branco esforçou-se por proteger Passos Coelho das consequências de uma eventual derrota do PSD: "Todos nós temos obrigação de levar Pedro Passos Coelho a primeiro-ministro. O Pedro já fez a parte dele, nós também estamos a fazer a nossa parte."

O cabeça-de-lista do PSD no círculo do Porto deixou uma promessa: "Estejam descansados: o PSD vai salvar o Estado Social." Passos, a seguir, reafirmou outra, a de "pôr a economia a crescer, sem batota, sem apostar só nos amigos."

O almoço-comício foi também marcado pela actuação de uma fadista local, Lizandra, que cantou "Ó gente da minha terra", um fado de Mariza com letra de Amália.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG