O tractor, as batatas, os calos, e... Passos aos papéis

Pedro Passos Coelho começou o dia de quarta-feira em Seia, onde ouviu algumas queixas da população. Uma senhora pediu-lhe apoio para a agricultura, mas deixou o candidato do PSD sem saber o que responder.

A mulher dirigiu-se a Pedro Passos Coelho, que cumprimentava por quem passava e pediu-lhe para lhe dar "uma palavrinha". Mas acabou por ser mais do que isso.

"O senhor, se ganhar, por favor, ponha a agricultura a andar", começou por pedir. "Para a gente vender e os motocultivadores também, que exigem o papel e agente não pode andar com ele", continuou.

A mulher prosseguiu nas suas queixas e Passos Coelho interrompeu-a com um pedido: "Explique-me lá essa coisa do papel".

E ela explicou. Falou das batatas e de que "não há ninguém que as vá comprar", dos calos nas mãos, do "matraquilho" que ela e o marido têm e dos papéis.

O candidato a primeiro-ministro pelo PSD andou um pouco aos papéis, mas lá percebeu que a senhora se queixava da necessidade de ter carta para conduzir o tractor. E prometeu informar-se melhor sobre o assunto e dar uma contextualização à interlocutora. Mas ela só lhe continuava a falar das batatas e do tractor que ela e o marido já têm há uns dez anos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG