Nobre vendeu canetas e comprou pão com chouriço

As canetas laranja do PSD foram hoje um dos produtos mais procurados na Feira do Relógio, em Lisboa, onde o candidato Fernando Nobre andou em campanha e ouviu algumas críticas.

Com a JSD sempre em pano de fundo e com um estridente megafone que dava o mote para frases de incentivo, o cabeça de lista por Lisboa foi de banca em banca dando garantias de que a partir de 5 de Junho, a data das legislativas, Portugal "vai mudar".

Ao som frases como "o povo não se esquece, a crise é do PS", ou "PSD, PSD, Passos Coelho, Passos Coelho", em ritmos que lembravam os gritos das claques de futebol, Nobre distribuiu cumprimentos e "esperança".

A "venda" das canetas, que "não chegaram para as encomendas", ficou a cargo dos apoiantes do ex-candidato a Presidência da República.

Fernando Nobre não escapou, naturalmente, a comentários menos simpáticos, discretamente ignorados por um aperto de mão, ou um sorriso.

"És médico, vai trabalhar" ou "vira casacas" foram algumas das expressões usadas pelos mais contestatários, e sempre abafadas pela sempre incansável JSD.

A todos os que se queixavam da crise, da redução nas reformas, ou dos cortes nos abonos de família, Nobre descansou, afirmando: "nós vamos mudar isto, com seriedade".

Mostrando-se bastante à vontade no meio de bancas com os mais diversos produtos, Nobre garantiu que vai à feira regularmente com "a mulher e as filhas", e lamentou que "haja um decréscimo de pessoas" nestes espaços.

Pessoas e economia, duas palavras importantes ao candidato "laranja" para quem "só uma vitória clara do PSD pode implementar um programa sério e combativo em termos económicos, que ponha os portugueses no centro".

Na longa e cheia avenida principal da feira, Fernando Nobre distribuiu muito mais apertos de mão que beijos, e ouviu bastantes vezes o "gosto muito de si".

Pelo meio e sempre ao som da JSD, bem alto, Fernando Nobre teve tempo para comprar um pão com chouriço, que o obrigou a puxar do porta-moedas, por a vendedora não ter troco para a nota de 10 euros com que tentou pagar.

Já no final da avenida um encontro com a campanha do PCTP/MRPP, que tal como a tendência política, começou do lado oposto ao do PSD.

Garcia Pereira cumprimentou Fernando Nobre, desejando-lhe boa sorte, e também os jornalistas, criticando-os por só aparecem "quando há candidatos dos grandes partidos".

Sempre no mesmo passo, Fernando Nobre terminou a visita, que durou quase duas horas, manifestando-se confiante e com muita esperança na vitória a 5 de Junho. A "mudança é fundamental e vai acontecer", afirmou o candidato. A JSD alinhou pelo mesmo diapasão gritando: "Já só faltam sete dias para a vitória". Até lá vai ser preciso renovar o stock da canetas, porque as de hoje "voaram".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG