PSD recusa comentar supostos processos fiscais de Passos

Casos de uma empresa do líder do PSD e alegados processos fiscais estão na net. O partido diz apenas que é uma "campanha suja" que o País não precisa.

Um blogue na Internet (verdadeirolapisazul.blogspot.com )está a divulgar pretensos processos judiciais em que uma empresa, a Ribtejo, liderada por Pedro Passos Coelho terá sido condenada a pagar uma multa. Além destes dados, o blogue divulga ainda uma série processos de execução fiscal de que o líder do PSD terá sido alvo.

O DN contactou Miguel Relvas, o secretário-geral do PSD, que disse o partido não comenta "blogues anónimos". "Campanhas sujas e ataques pessoais são coisas de que o País não precisa".

Os texto do blogue são assinados por João Almeida, um desconhecido. Que justifica assim a iniciativa: "Todos os candidatos destas eleições viram a sua vida escrutinada ao mais ínfimo pormenor. Sabemos tudo e conhecemos bem o passado de José Sócrates, Paulo Portas, Jerónimo de Sousa e Francisco Louçã. De Pedro Passos Coelho nada. Funciona como uma espécie de apagão de "lápis azul" na imprensa portuguesa o escrutínio sobre o passado profissional do líder do PSD que se candidata a futuro Primeiro-ministro. E afinal que passado".

Ou seja, o blogue foi criado para divulgar aspectos da vida profissional e fiscal de Pedro Passos Coelho. O primeiro "post" foi colocado a 3 de Maio de 2011. Sendo certo também que, no que diz respeito aos processos de execução fiscal imputados ao líder do PSD, tal informação só é acessível através do sistema interno da Direcção geral dos Impostos. O mesmo não acontece com os acórdãos dos tribunais - um deles já foi até alvo de notícia, hoje, no jornal "i" - que são públicos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...