CDS pôs Nobre fora do acordo com PSD

O nome de Fernando Nobre para Presidente da Assembleia da República está fora do acordo de coligação que PSD e CDS vão assinar até ao final da semana.

Paulo Portas anunciou que os dois partidos fecharam o acordo politico e o texto com as bases programáticas, mas não se entenderam sobre a candidatura à presidência do Parlamento.

"Chegamos a acordo em matérias prioritárias para o Pais. Houve um esforço de aproximação relevante, mas em nome da autenticidade, é preciso dizer-se que a questão do presidente da Assembleia da República não faz parte do acordo entre os dois partidos," afirmou à saída da audiência com o Presidência da Republica

O líder do CDS justificou que essa não é uma questão prioritária e lembrou as compromissos assumidos antes por ambos os partidos. "Não ficaria bem a nenhum dos lados que rompesse com a sua palavra."

"Cada um agirá no Parlamento de acordo com a palavra dada," acrescentou.

Portas esteve reunido com Cavaco durante pouco mais de uma hora. O líder centrista ia acompanhado ppr Nuno Melo, Assunção Cristas, Mota Soares e Luís Queiró.

À saída anunciou que o CDS deu o seu acordo a Cavaco Silva para a indigitação como primeiro-ministro do líder do partido mais votado.

Portas afirmou que a orgânica e a composição do Executivo são uma competência do chefe de Governo traçando com isso uma fronteira face ao acordo político e programático negociado entre os partidos.

A esta hora, Cavaco Silva está reunido com a delegação socialista. Em representação do PS, sem líder, vieram a Belém o ainda líder parlamentar, Francisco Assis, Vitalino Canas e o secretário de Estado João Tiago Silveira.

Ao 12:00 será a vez da delegação do PSD. Terminadas as audiências aos partidos Cavaco Silva deverá voltar a chamar Passos Coelho a Belém para o indigitar primeiro-ministro.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG