Sócrates diz que Passos escondeu a agenda no debate

Em Ourém, na segunda etapa do dia, José Sócrates dirigiu-se aos cerca de mil convidados para almoçar prometendo "lutar pela vitória eleitoral". E acusando o líder do PSD de querer "esconder" o que quer fazer do país. Na Saúde e Educação, sobretudo.

"No próximo dia 5 de Junho muita coisa vai estar em jogo. Desta vez isto é especialmente importante", sublinhou o líder socialista. Primeiro, elencou a obra de seis anos. Depois, a conclusão: "Mas há quem a ponha em causa e não tenha coragem de o dizer, como ontem ficou claro". Passos Coelho, diz Sócrates, "está a dizer que devem pagar o SNS nos seus impostos e depois quando" têm que recorrer aos seus serviços. "Eles disfarçam, dizem que o co-pagamento já existe. Mas não é disso que estou a falar. [E o que eles propõem] põe em causa a tendência gratuita do SNS". Ao invés, o PS quer "que ninguém fique afastado do acesso aos cuidados de saúde".

Mas a mensagem seria reiterada: "Não, não, não é bem assim, dizem. Não deitem areia para os olhos!. Quando querem eliminar o artigo do SNS tendencialmente gratuito da Constituição é porque têm algum objectivo", disse, acusando o PSD de "esconder essa proposta".

Na Educação, segunda agenda escondida. "Eles verdadeiramente não querem o programa Novas Oportunidades", atirou. Colocando assim a hipótese:"Ter ou não ter o programa Novas Oportunidades", que "fez 500 mil pessoas felizes".

No final, e perante o ex-centrista (agora candidato pelo PS, Basílio Horta), Sócrates concluiu: "Isto agora é muito a sério. Não queremos pôr em causa os pilares do Estado Social", património dos democratas-sociais, da doutrina social da Igreja, dos socialistas e sociais-democratas europeus. Um consenso europeu que José Sócrates diz "hoje ameaçado", o da igualdade de oportunidades e da justiça social.

Relacionadas

Últimas notícias

Brand Story

Tui

Mais popular

  • no dn.pt
  • Notícias
Pub
Pub