"Respire. A partir de agora será diferente"

O horizonte são as regionais, no Outono, mas o impacto da votação em Coelho ultrapassou a Madeira. O deputado assume-se como mensageiro da esperança

Bastou um dia ao lado de José Manuel Coelho para perceber o impacto destas eleições na Madeira. Desde a entrada na padaria, onde se colocou em fila para comprar pão para o pai, à visita rápida à Câmara de Santa Cruz (PSD, sem maioria), a conversa com os taxistas - "os jornais gratuitos mais eficientes", como diz - e com a mulher que "adorou ouvi-lo", mas que prefere manter o anonimato porque "é de um diário de Lisboa que chega cá", Coelho apresenta-se como o mensageiro da esperança. "Senhora, respire. A partir de agora tudo será diferente."

Na passagem pelos Bombeiros Municipais de Santa Cruz há uma fotografia de conjunto, o que seria impensável há uns tempos. "As pessoas começam a perder o medo. Ele foi o único deputado que nos defendeu no Parlamento regional, quando o PSD chumbou a proposta de equiparação aos Sapadores. Sabe, o Brasil só levantou a cabeça com um operário", diz Ricardo Rodrigues, bombeiro, 40 anos.

Coelho é uma central telefónica. Os seus dois telemóveis não param. Dezenas e dezenas de pessoas querem dar-lhe os parabéns, não só da Madeira mas de todo o País, incluindo Açores. "Era um camarada de Vila Franca do Campo", esclarece.

O sentimento que se vive é que o efeito Coelho abalou a ilha. O PSD/Madeira tem noção de que algo mexeu, e não foi por Coelho ser madeirense. É um aviso ao que pode acontecer em Outubro. Uma situação que não apanha só o PSD/M mas, sobretudo, todos os partidos da oposição que se sentiram esmagados com os resultados de domingo.

Tudo irá depender da capacidade do PND em aguentar esta vitória e conviver com um homem imprevisível que aplica um discurso de esquerda radical, que abre a boca e diz tudo o que pensa. Sem regras.

José Manuel Coelho já está em campanha para as regionais - e não vai parar. A antiga estratégia de Jardim em não hostilizar o deputado do PND, por pensar que este funcionava como o "idiota útil" no combate ao PS, pode ter de ser revista. Jardim vai regressar ao activo, mas a imagem de fragilidade ficou, depois do ataque cardíaco. Todos sabem que Coelho não é uma alternativa governativa, mas reconhecem que pode atrapalhar uma maioria absoluta.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG