Governo minimiza vitória de Cavaco

reacção O Governo fez ontem questão de recordar a Cavaco Silva as condições em que foi reeleito Presidente da República. Entrevistado na Rádio Renascença, Pedro Silva Pereira, ministro da Presidência, disse que "se há alguma coisa de novo" nestas eleições é o facto de Cavaco ser "o PR eleito com menor número de votos de sempre e com menor percentagem" numa reeleição. E é também o PR "que perdeu mais votos entre a primeira e a segunda eleição".

Silva Pereira disse estar apenas "a registar um facto". No seu entender, o PR "capitalizou menos ao longo do seu exercício do seu primeiro mandato a posição de aglutinador", posição que até permitiu a outros PR que "transcendessem a sua área política".

Na entrevista foram deixados alguns avisos a Cavaco Silva. "Não vejo que tenha particular disponibilidade - certamente não terá - de se constituir agora, a coberto da expressão magistratura activa, num factor de instabilidade social ou política ou numa força do bloqueio." O que importa é que o PR reeleito tenha em atenção "duas circunstâncias que não podem ser ignoradas": o facto de o Gover- no ser de maioria relativa e a crise. "O que se pede ao PR é que tenha uma atitude de adicional atenção à preservação da estabilidade política." Silva Pereira explicou assim o apoio do PS a Alegre: "Não exis-tiram sinais de disponibilidade de outras personalidades relevan-tes" no partido e portanto "ou o PS apoiava Manuel Alegre ou não tinha nenhum candidato".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG