Alegre perde mais votos na sua terra

águeda O desfecho eleitoral de domingo não surpreendeu os vizinhos de Manuel Alegre, em plena baixa da cidade de Águeda. "Já sabia que ele ia ter uma segunda desilusão nas presidenciais. Era difícil, mesmo aqui porque não convive muito connosco", dizia ontem uma moradora na Rua de Vasco da Gama, paredes-meias com a casa onde o poeta nasceu.

Apesar de se apresentar na corrida com apoio do PS e do BE, Alegre perdeu na terra natal 3358 votos comparativamente ao resultado alcançado em 2006 (passou de 28,85% para 21,01%).

Confirmou-se, assim, o prognóstico de Humberto Almeida, reformado e regular animador de blogues locais. "Não acreditava na segunda volta, veja que o PS apoiou três candidatos", ironizou.

Águeda, que tem uma câmara de maioria PS, assistiu a um dos jantares-comício mais participados durante a campanha de Manuel Alegre, com a comparência de José Sócrates, fazendo acreditar no objectivo traçado.

Na noite de domingo, a disposição mudou radicalmente logo que começou a ecoar a vitória folgada de Cavaco Silva. O médico aguedense Silva Pinto, amigo de infância e camarada de vários combates ao lado de Manuel Alegre, confessou ontem ter mudado de canal, optando por acompanhar um dos habituais hilariantes episódios dos Simpsons.

Com alguma surpresa, o ex-deputado socialista, apesar de ter voltado a ser o segundo no distrito (com uma ligeira descida global de 17,82% para 17,55%), foi relegado para terceiro em seis concelhos por Fernando Nobre - logo ele, que se disse ser o candidato de Soares.

JÚLIO ALMEIDA, Aveiro

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG