Garcia Pereira admite que falhou objectivo

O PCTP/MRPP falhou um dos objectivos a que se propôs nas legislativas de hoje: eleger um deputado, mas cumpriu a "manutenção e reforço" da votação, concluiu este domingo o responsável do partido, Garcia Pereira.

Não deixando de salientar a derrota "absolutamente estrondosa" de José Sócrates, Garcia Pereira afirmou que a meta de "manter e reforçar a votação das últimas eleições" foi cumprida".

Ainda antes dos resultados finais apurados, Garcia Pereira admitia que o partido "conseguiria ultrapassar a barreira dos 60 mil votos".

"Quanto à eleição, não foi desta, será na próxima", referiu à Lusa.

Sobre a concorrência directa que o Partido pelos Animais (PAN) significou, sobretudo, no distrito de Lisboa, o dirigente considerou que se tratou de um tipo de força que "surge em determinados momentos históricos com o objetivo de retirar votos a partidos como o PCTP/MRPP".

"São epifenómenos que aparecem, são levados ao colo", disse Garcia Pereira, acrescentando que há partidos que acabam depois por "desaparecer".

"Estas eleições mostram o desaparecimento de alguns epifenómenos desses e toda a gente percebe a quem eu me estou a referir", afirmou.

Para Garcia Pereira, o PAN, "não tendo nenhum programa político nem nenhuma resposta ou proposta de solução para os problemas do país", irá "desaparecer da cena política".